quinta-feira, 25 de junho de 2015

Pensando ..Escrevendo

O texto de hoje não fala muito sobre tudo, mas ao mesmo tempo não fala sobre nada. Não existe nada como escrever e depois você ler o que escreveu e se perder nos pensamentos.
Se por acaso posso sugerir uma dica, escrevam. Afinal todos passamos por problemas e nada como o desabafo pessoal para isso. 

Abaixo, está um desabafo bem particular. Espero que gostem..





"Perdida em pensamentos"



Quando pensamos muito sobre o que escrever, acabamos escrevendo nada, esquecemos que o que queremos colocar pra fora são os sentimentos de angustia há muito perdurado aqui no peito.  É uma vontade de gritar, chorar, sair correndo, escrever, rasgar , ouvir, calar, se esconder, ser visto, confusão, desilusão, ilusão, amor, ódio, ciúmes, tragédia, sentimentos, a falta deles.

Tudo parece um mar gélido, cálido, pronto pra te abraçar e te envolver em toda a sua frieza e amargura, toda a sua tranquilidade e ternura. Basta saber, vou me entregar?

quarta-feira, 6 de maio de 2015

Uau, faz quase um ano que não escrevemos nada aqui no blog. É garanto pra vocês que até mesmo eu me assustei.
Bom, posso lhes garantir que nesse um ano muitas coisas aconteceram nas nossas vidas, imagino que na de vocês também. Afinal a cada minuto mesmo que não tenhamos o trabalho de perceber, algo a nossa volta ou até com nós mesmos se renova. 
Hoje fiquei me questionando o por que de parar de escrever aqui. E a resposta foi, "Ah eu não tive tempo", "Ah não sabia sobre o que escrever", "Criei o blog com um intuito e agora quero mudar?"
Foi quando me toquei, não tem por que ter medo de mudar, mudança faz parte da vida. Faz parte do cotidiano. Nesse quase um ano eu mudei tanto as coisas na minha casa, na minha vida, na minha história. Então por que não mudar as coisas aqui?
Ao invés de escrever sobre livros, escreverei sobre coisas do cotidiano. Coisas que acontecem na minha e eu acredito que na sua vida também. Montarei um dialogo, um escape, onde eu e vocês poderemos desabafar, contar com alguém do outro lado, ou apenas ter um amigo pra conversar. Não estou dizendo que bancarei a psicóloga, até por que não tenho inteligência mental para tal façanha. Mas serei o mais próximo possível de um diário. Serei aquele diário, aquele amigo imaginário que você sempre contou as coisas e sempre esperou uma resposta, e por anos ficou no silêncio.

O que acham? Querem viajar de cabeça nessa aventura comigo? 
Tenho certeza que daremos uma bela história juntos.






Categorias